• Divas Montanheiras

Reconhecimento de rota DBM

Atualizado: 27 de Mar de 2019

Lembra que no post sobre o treino para o Desafio Bicicletas ao Mar contei que seria guia? Então, para ser guia precisamos conhecer a rota do pedal primeiro para instruir corretamente os ciclistas durante o passeio!


Então lá fomos nós caminhar pela linda Rodovia Caminhos do Mar, conhecida também como Estrada Velha de Santos, admirando suas lindas paisagens e analisando cada cantinho e falha da pista, que é um misto de pedras e concreto antigo, construído em blocos que criaram algumas separações e alturas diferentes. Quando chove piora ainda mais, pois o chão fica extremamente liso!

Rodovia Caminhos do Mar

A rodovia como nós a conhecemos foi construída em 1917, mas sua história começa bem antes, com os jesuítas em 1560, comandados por José de Anchieta. Eles foram os primeiros a abrir a ligação entre São Vicente e o Planalto de Piratininga, hoje muito conhecido com São Paulo 😉


Em 1598 o Caminho do Mar foi restaurado por ordens do capitão-mor Jorge Correia. Em 1661 o governante da Capitânia de São Vicente mandou construir a Estrada do Mar, com mais de 70 pontes para que as carroças pudessem viajar com mais facilidade. Em 1789 foi a primeira estrada a ser pavimentada com concreto na América Latina. Em 1844 foi reinaugurada como a Estrada da Maioridade, em comemoração à emancipação de Dom Pedro II.


Em 1947, com a construção da Via Anchieta, muito mais moderna e adequada para o fluxo da capital para o litoral, a Rodovia Caminhos do Mar caiu em desuso, sendo fechada em 1985 e reaberta em 2004 para passeios turísticos a pé ou de bicicleta. Tornou-se um ótimo lugar para treinos de triathlon, pois tem uma represa ao final.


Muitos fatos históricos aconteceram na estrada. Possui a calçada do Lorena praticamente intacta, outra notável obra de engenharia que auxiliava no escoamento da produção para o litoral. Foi por essa rota que D. Pedro subiu para proclamar a Independência brasileira, e muitas ilustrações da época ainda podem ser vistas nas paredes das construções históricas do caminho. A música "As curvas da estrada de Santos" de Roberto Carlos foi inspirada nela.

Pouso Paranapiacaba

Construída em 1922, era um local famoso de parada dos viajantes descendo para o litoral ou subindo para a Capital.

Era um antigo ponto de parada de carros durante a viagem entre Santos e São Paulo. Paranapiacaba, em tupi, significa “local de onde se vê o mar”.

Fonte: Parque Estadual Serra do Mar


A vista da casa é simplesmente maravilhosa! De lá conseguimos ver Cubatão e Santos e o mar ao fundo, além de toda a Mata Atlântica preservada ao redor!

Tubulação

Estes tubos são icônicos! Sempre vistos de longe, causam um certo fascínio em qualquer um. Vistos de perto são ainda mais legais!


O interessante é que, apesar de todos acreditarem passar petróleo por estes tubos, a verdade é que passa água para alimentar uma das mais antigas hidroelétricas do Brasil, a Henry Borden!

Rancho da Maioridade

Ponto de descanso e reabastecimento durante a viagem entre São Paulo e Santos no km 47, seu nome é alusivo a Estrada da Maioridade, construída entre 1841 e 1846. Um painel de azulejos ilustra a subida da Serra por figuras políticas ilustres do século XIX tal como Dom Pedro II.

Fonte: Parque Estadual Serra do Mar

Calçada do Lorena

Construída no final do século XVIII, foi a primeira ligação pavimentada entre São Paulo e o litoral paulista, sendo construída por rochas escolhidas e trabalhadas a mão.

Fonte: Parque Estadual da Serra do Mar

Final do passeio

Nós fizemos o passeio com um propósito, e espero conseguir ser uma guia de primeira no desafio que acontece esse dia 31/03! Mal posso esperar para ver estas paisagens de novo e aproveitá-la de cima da bike junto com outros ciclistas! 😍


Fontes: Parque Estadual da Serra do Mar | Sampa Histórica | Catraca Livre | Acervo Estadão | TV Tribuna

173 visualizações
Carla Gisele Moor

© 2019 Divas Montanheiras. Criado por Poppy Digital.

Fazem 6 anos que o esporte entrou na minha vida. De lá para cá, foram muitas paixões, amizades, encontros, passeios, viagens, e tudo o que a natureza tem de melhor para oferecer!