• Divas Montanheiras

Fernando de Noronha: o paraíso brasileiro

Atualizado: 16 de Ago de 2019

Sem dúvida, depois que se conhece Fernando de Noronha, seu nível de exigência aumenta. Não só o lugar é maravilhoso, como cria uma experiência única para os seus visitantes!

Sobre Fernando de Noronha

É um arquipélago brasileiro do estado de Pernambuco formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de origem vulcânica. Ocupa uma área total de 26km² - dos quais 17km² são da ilha principal - e se situa no Oceano Atlântico, nordeste do Brasil, distando 545km da capital pernambucana, Recife, e 360km de Natal no Rio Grande do Norte. O centro comercial da ilha e o núcleo urbano é a Vila dos Remédios. 70% do arquipélago faz parte do Parque Nacional de FN e está atualmente a cargo do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).


Sofreu constantes invasões de ingleses, franceses e holandeses entre os séculos XVI e XVIII. Na Segunda Guerra Mundial, o arquipélago tornou-se território federal, cuja sigla era FN, passando a servir como base avançada de guerra. Tudo isso está bem visível na ilha principal: existem fortes, ruínas, navios naufragados e lembranças de todos estes momentos que este lugar paradisíaco e único passou ao longo dos séculos. No ano de 2001 a UNESCO declarou Fernando de Noronha Patrimônio Natural da Humanidade.


Começo da viagem

Nossa viagem começou dia 24/07, mas muito antes começamos a nos preparar! O vôo SP-Recife foi comprado com milhas e o restante (vôo Recife-FN, pousada, passeios) foi fechado em um pacote com a Noronha Tour. Levamos nossos próprios equipamentos de mergulho para snorkeling (nadadeiras, máscaras, snorkels). Ocupa espaço, mas vale á pena se você quer mergulhar em todas as praias que puder, como nós fizemos! Mas se não conseguir levar, dá para alugar lá também.


Os vôos na ida tinham pouco tempo para a conexão, como eram de companhias diferentes tivemos que despachar malas em SP, pegar em Recife e despachar novamente para Fernando de Noronha! Deu tudo certo, ufa! E ainda deu tempo pra passear no Aeroporto de Recife, comer algo e comprar um copinho (faço coleção deles 😋) e imãs de geladeira de Recife e Olinda, cidades que já conhecíamos, mas que ainda não tínhamos nossas tão queridas lembranças.


Recife estava debaixo d’água! Depois ficamos sabendo que estava em situação de calamidade em virtude da quantidade de chuvas. Realmente quando chegamos chovia muito, mas os vôos seguiram normalmente.


Em Fernando de Noronha o tempo abriu! Chegamos em uma linda tarde agradável de inverno, com incríveis 27ºC de temperatura! O clima da ilha é tropical e a amplitude térmica é muito pequena, característica da região da Linha do Equador. Ao longo do ano a temperatura da água do mar varia entre 26 °C e 28 °C. Com mais de 2.900 horas de sol por ano, a umidade do ar é relativamente elevada, com médias mensais entre 70% e 90%.


No lindo aeroporto, que mais parece uma fazendinha (de acordo com a minha enteada Fernanda) fomos recebidos pela equipe da Noronha Tour que nos deixou na nossa pousada, no bairro de Florestinha, bem próxima do Centro. A pousada Floresta & Mar era simples, mas uma graça! Minha cara, amei!


Ah! Fomos eu, maridão e enteada, então ficamos em um quarto para 3, que não era grande, mas era “honesto”. Nos viramos e cada um achou um lugar para a sua mala e organizou suas coisas, deu tudo certo! Uma semana incrível, sem brigas, sem stress, sem cara feia, só amor e felicidade!

Para passear em Fernando de Noronha é preciso pagar duas taxas: uma de Preservação Ambiental (obrigatória) e outra para entrada no Parque Nacional. Essa segunda te dá acesso á grande parte das praias, vale á pena! Nós pagamos todas antecipadamente, mas pode ser pago lá também. No aeroporto só apresentamos a de entrada na ilha, e a do Parque mesmo tivemos que ir ao ICMBio para retirar as carteirinhas, que acabaram virando imãs de geladeira na volta! Fizemos também o agendamento da trilha do Atalaia.

Esse lagartinho da foto chama-se Mabuia, uma espécie encontrada apenas no arquipélago! Demais, né?


Como viajamos com uma companhia de viagens, já estavámos com muitas coisas agendadas para os 7 dias de viagem.


Conhecendo o paraíso

Dia 25/07, começamos com o passeio Ilha Tour da Noronha Tour, onde você conhece vários lugares da ilha de pickup, entre eles a praia considerada a mais linda do mundo, a Praia do Sancho. Fizemos mergulho de snorkel, almoçamos no Restaurante da Ná (por favor, se algum dia visitar esse restaurante, peça a lula ao molho de coco, é simplesmente maravilhosa).

Visitamos o Museu do Tubarão. O lugar é bem pequeno, mas tem informações incríveis sobre a ilha. Foi lá que descobri que Fernando de Noronha é como a ponta de um iceberg, e apesar da ilha ser pequena, a estrutura sob o mar é gigantesca e já teve até um vulcão a milhares de anos atrás!

No fim da tarde fomos assistir o pôr do sol no mirante do Boldró, com direito até a música ao vivo. Simplesmente sensacional!

Segundo dia

Passeamos pela Vila dos Remédios onde tem a Praia do Cachorro, e nela o Buraco do Galego, uma piscina natural mais do que linda! Primeira vez que vimos arraias, e eram enormes! 😱

À tarde retiramos os kits para a Mountain Do, a corrida mais linda do Brasil. Você não pensou que estavamos indo para Fernando de Noronha só para passear, né? 😂


O kit era bem bonito. Vinha mochila, camiseta, boné, cinto com zíper para celular, o porta número e o chip.

No final da tarde fomos para o Forte Nossa Senhora dos Remédios, que apesar de estar em reforma ainda vale muito a pena o passeio. A vista de lá é incrível!

Dia da corrida!

A corrida começava em frente á Praia do Porto, aonde tem uma praça com um mural lindo para fotos! O circo da corrida estava montado, demos até entrevista para o locutor!

A corrida iniciou na hora combinada, e foi incrível! Teve asfalto, pedras, trilhas, praias, estradões de terra, tudo que amamos! Muita vista linda e claro várias fotos sensacionais! Os primeiros 21km do meu marido e em grande estilo! Fez valer o slogan de "corrida mais linda do Brasil"!

Voltamos para a pousada aonde a Fernanda ficou dormindo, tomamos banho e sem perder tempo fomos passear! Descansar ficou só pra depois da viagem! 😂


Alugamos um bugue, vale bastante a pena porque dá bastante mobilidade para ir aonde quiser, e passeamos bastante de bugue. Na ilha tem uma estrada federal, a menor do Brasil com 7,5km, mas tem várias estradinhas laterais a ela que levam às praias e aos demais pontos turisticos. Tem uma só linha de ônibus, então o bugue impera na ilha!


Quarto dia

Dia do passeio de barco, foi o único passeio que gostamos “mais ou menos”. Achamos que tinha gente demais no barco, não tem lugar para todos se acomodarem e curtirem o passeio, mas valeu ainda assim. O tour percorre o lado do Mar de Dentro, de ponta a ponta, onde vimos golfinhos e nadamos de snorkel na Baía dos Porcos. A vida marinha em Fernando de Noronha é uma das coisas que nunca vou me esquecer: são tartarugas, arraias e peixes aos milhares! Incrível!

Percebam que eu ainda estou carregando a medalha. Levei ela para todo lado na viagem! Teve até gente pedindo para tirar foto com ela! ❤


Á tarde, fomos na Igrejinha ver o famoso pôr do sol. Demos a sorte de assistir um casamento e a igrejinha aberta! Foi lindo!

Quinto dia

Aproveitamos o Bugue e fomos até a Baía dos Porcos pela manhã, aproveitando a maré baixa para praticar snorkeling e passear entre as praias. Na volta, passeamos pela Vila dos Remédios e compramos lembrancinhas para a família. 😍

Entardecer VIP no quinto dia

Pela manhã fizemos a Trilha do Atalaia, praticamos snorkeling na piscina natural que se forma na maré baixa, mas o Mar de Fora estava meio bravo então não vimos muita coisa.

À tarde fizemos o segundo passeio de barco, esse com uma diversão chamada prancha SUP, uma pequena prancha presa á uma corda e ao barco, que nos carrega enquanto praticamos snorkeling. Amei!! Vimos até um tubarão de mais de 2 metros! Top! Nesse passeio também está incluído um churrasco de carne e peixe e assistir o pôr do sol no barco, vale super á pena! Também ficamos sabendo que existe um passeio de canoa havaiana no nascer e no pôr do sol, que ficamos ao lado dos golfinhos, fiquei louca pra fazer, mas no dia seguinte já era hora de voltar à realidade. 😭

Último dia

Pela manhã ainda deu tempo de acordar cedo, aproveitar a Praia do Cachorro e tirar mais algumas fotos no concorrido Buraco do Galego. Pratiquei yoga na praia e curti mais um pouquinho do sol delicioso.


Pousada, aeroporto e fim...confesso que lágrimas rolaram ao deixar esse paraíso!

Dicas

Compre água, salgadinhos e bolachinhas nos mercadinhos, tudo é muito caro nos restaurantes e algumas praias não tem quiosques...e as que tem é tudo bem caro! Talvez até seja interessante levar um cooler pequeno com bebidas (não vende bebida alcóolica nas praias do ICMBio).


Comprei uma sapatilha para andar pelas pedras, de chinelo é bem complicado e dói bastante os pés! Ainda mais para que não está acostumado.


Leve no máximo uma manga comprida, lá não faz frio! E a chuva não dura mais que um minuto nessa época do ano.


Ande bastante! Vá em todas as praias que puder, visite todos os pontos turísticos, você não sairá de lá com a sensação de que conheceu tudo, mas se esforce para isso! Uma semana é um tempo satisfatório para conhecer bastante da ilha.


Protetor solar e repelente de insetos é primordial! Um bom hidratante para a pele e os cabelos também, já que a ilha não tem água doce, e sim dessalinizada, os cabelos e a pele ficam bem ressecados!

0 visualização
Carla Gisele Moor

© 2019 Divas Montanheiras. Criado por Poppy Digital.

Fazem 6 anos que o esporte entrou na minha vida. De lá para cá, foram muitas paixões, amizades, encontros, passeios, viagens, e tudo o que a natureza tem de melhor para oferecer!